Samba no céu

ATUALIZADA EM ABRIL/2018

O que é?
21 clássicos de artistas eternos

Cheia de manias?
“Samba no Céu” é o nome de uma coletânea da Som Livre de 1987 com sambas interpretados por artistas que já tinham falecido.

sambanoceu_original

A maior parte desta lista nasceu de uma vez, logo quando eu comprei o disco, misturando artistas que estavam na coletânea dos anos 80 com outros que nos deixaram depois, mas nunca postei porque fiquei com receio de ser “esquisito” postar em qualquer dia ou de mau gosto postar num dia de finados – que relação estranha que a gente tem com a morte, né?

Enfim, resolvi postar como homenagem a esses artistas que a gente não pode mais ver shows, mas que são eternos. E, em certo sentido, também pra lembrar das pessoas queridas que não estão mais aqui e que também continuam eternas na nossa memória – além de agradecer por aquelas que estão. É bom ter esses momentos de vez em quando.

E o que tem?
Dona Ivone Lara – Alguém me Avisou (1982)
Wilson das Neves – O Samba é Meu Dom (1996)
Luiz Melodia – Estácio, Eu e Você (1973)
Adoniran Barbosa (part. Elis Regina) – Tiro ao Álvaro (1980)
Vinícius de Moraes e Odette Lara – Berimbau (1963)
Dorival Caymmi e Tom Jobim – Saudade da Bahia (1964)
Clementina de Jesus – Marinheiro Só (1973)
João Nogueira – Espelho (1977)
Clara Nunes – Coisa da Antiga (1977)
Jair Rodrigues – Tristeza (1994)
Almir Guineto – Conselho (1986)
Jovelina Pérola Negra – Sorriso Aberto (1988)
Zé Kéti – A Voz do Morro (1996)
Bezerra da Silva – Produto do Morro (1983)
Agepê – Moro Onde Não Mora Ninguém (1975)
Aparecida – Tereza Aragão (1975)
Roberto Ribeiro – Vazio (Está Faltando Uma Coisa em Mim) (1979)
Gonzaguinha – E Vamos à Luta (1980)
Cartola – O Sol Nascerá (A Sorrir) (1974)
Cássia Eller – Na Cadência do Samba (1994)
Nelson Cavaquinho – Quando Eu Me Chamar Saudade (1972)

Toca aqui:

Ouvir na Deezer Ouvir no Spotify